Wednesday, November 21, 2007

Bizarro

Foi o que vi hoje de manhã quando chegava ao Odilon Behrens.

Já na rua do Odilon um pai caminhava apressadamente com o filho em direção ao porta do pronto atendimento e o menino vomitou. Não teria nada de mais nessa cena nao fosse pelo fato do garoto não ter parado de caminhar! Isso mesmo! Ele continuou caminhando e vomitando. O pai percebeu e parou. Falou alguma coisa com o garoto, que imagino eu, tenha sido algo do tipo: pode vomitar meu filho, agora você está parado. E o garoto acenou a cabeça negativamente. Eles recomeçaram a andar em direção ao pronto atendimento e o garoto vomitou novamente, no mesmo esquema fazer duas coisas ao mesmo tempo: andar e vomitar. Mais uma parada. Mais uma fala do pai para o filho. Mais um aceno negativo de cabeça do filho. Recomeçaram a caminhada e .... mais um vômito. Cena totalmente bizarra. O garoto vomintando até pelo nariz! Caindo tudo na roupa. Coitado. Fiquei com dó do menino...

5 comments:

Carol said...

Delito
[Do lat. delictu.]
S. m.
1. Fato que a lei declara punível; crime.
2. Culpa, falta; pecado.

Ao ler sobre o garoto que "mumutava", me senti culpada. Porque eu imaginei a cena, realmente bizarra e fiquei com pena dele também. Muitas pessoas estão vomitando ao nosso lado e não conseguimos perceber. Esse garoto foi percebido e nos compadecemos. Mas muitas vezes somos indiferentes à dor do outro.
Adorei sua formar de mostrar nosso crime cotidiano.
O seu blog tá ótimo.
Beijos mil pra vc.

Gabi said...

num é "mumutava" não, é "mumitava".... hahahaha

falou bem! como no outro post eu coloquei, a gente normalmente fecha os olhos pro que está ao nosso redor. Infelizmente não pude fazer nada pelo garoto, mas confesso que fiquei c o coração na mão, tadinho...

Daniel Ottoni said...

vc podia sim, ter feito algo pelo garoto !

ñ fez pq nao quis, pq foi omisssa !

hahahahahahahahaha

brincadeira !

bjusss

Nivs said...

É, Gabi, caso sério. Quase todo mundo fica meio mareado quando anda de barco. Uma boa parte, quando viaja de ônibus. Uma porção menor quando anda de carro. Agora sabemos que tem gente que enjoa quando simplesmente... anda! Bizarro, muito bizarro. Tadinho do menino!

Anonymous said...

Isso levanta outras questãs (questão é uma palavra feminina, tem que tirar esse "o" do final), "prá pensar na cama":
1) se o vômito são as dificuldades que as pessoas enfrentam, algumas pessoas continuam a caminhar, mesmo "vomitando". Isso leva ao meu "lema": keep walking (continue a andar). A vida não pára, nós não podemos nos dar ao luxo de parar.
2) se a criança estava "mumitando", pelo menos estava andando, e assim se mantinha. Temos a capacidade de vermos alguns dos problemas das pessoas como algo impeditivo de que elas "caminhem", e acabamos por não valorizarmos o fato delas "caminharem", entende? Vimos o vômito, e foi o que valorizamos, e deixamos de ver que ela caminhava perfeitamente!

Foi complexo? Pense na cama...

D.