Wednesday, June 11, 2008

Se você pudesse...

"Se você pudesse escolher entre ter um amor possível ou um grande, enorme, devastador amor impossível, o q escolheria?"

Essa é a introdução de um texto escrito por um homem apaixonado.
Como é bom ver pessoas apaixonadas! Eu sou do tipo que ainda acredita no amor. É isso mesmo! Acredito nesse amor romântico q deixa a gente bobo, abestalhado diante da presença de quem amamos. O amor que faz a gente sentir um frio na barriga só de pensar no outro. Que faz a gente desejar ter o outro ao nosso lado o máximo de tempo possível e faz com esse tempo páre qdo estão juntos. Acredito no amor que respeita, que amadurece com o tempo, que modifica, mas que não deixa de ser amor.

Sou do tipo que torce não só por finais felizes nas histórias do cotidiano que me rodeiam, mas também por começos e meios felizes, por trajetórias alegres, por companheirismo e cumplicidade em todo decorrer do caminho traçado e conquistado juntos dia-a-dia.

E esse coração apaixonado me procurou, querendo postar um texto em meu blog. Adorei a idéia de ter um texto no blog de autoria de outra pessoa. Quando li o texto pensei: "esse texto será uma belíssima homenagem ao dia dos namorados", data celebrada por mim com alegria e torcida aos apaixonados que me rodeiam todos os anos!

Segue o texto na íntegra, mas antes uma perguntinha: Vc já disse eu te amo hj? Se não, então diga! Diga pro seu (sua) namorado(a), esposo(a), pai, mãe, irmão(ã), amigo(a), cachorro, gato, papagaio.... não importa pra quem, mas diga! Parece piegas isso, mas é que penso que a vida é mto curta pra deixarmos de amar os seres que nos cercam.




"Se você pudesse escolher entre ter um amor possível ou um grande, enorme, devastador amor impossível, o q escolheria?

Gostar de alguém que goste de nós é tão bom, gratificante, ficamos com aquela sensação de estarmos completos, plenos... Mas é só isso que basta? Não há nada mais?

Há sim. Infelizmente o mundo nos cobra muito mais que apenas justificar nossa existência com um trabalho, e coisas como ser um bom cidadão... Às vezes temos a capacidade de simplificar coisas que parecem problemas de uma lógica tão complexa que dá até medo. Mas também temos a capacidade de fazer o oposto: complicar o que era tão simples... Não sei se o que estou fazendo aqui se enquadra no primeiro ou segundo caso, mas a verdade é que comecei a escrever porque no meu coração pesa, e muito, o fato de estar completamente, totalmente, apaixonado por alguém.

Contar isso aqui pra todo mundo, num blog? Coisa de louco né? Mas, e daí? Só estou tentando demonstrar que às vezes nós complicamos com as coisas mais simples.

Estou fazendo isso porque quero que ela saiba, através desse tresloucado ato, que não teria nada que eu não fizesse por ela. Nada mesmo. Pagar mico? Tudo bem! Passar por apertos na vida? Numa boa! Topo tudo. E se não me engano, acho que ela também. Mas isso não é o suficiente pra nós... No nosso caso, não basta. E é ai que eu chego à pergunta que fiz lá no começo: Se você pudesse escolher entre ter um amor possível ou um grande, enorme, devastador amor impossível, o q escolheria? Porque se por um lado, é algo sem explicação nos bons momentos, em outros (essa semana pra mim, particularmente) parece o inferno na terra. Mas como estou ficando bom nessa história de complicar as coisas, vou parecer me contradizer agora.

Não interessa o quanto dói ficar longe e não poder deitar minha cabeça no colo dela, sentir o calor da sua mão no meu rosto, e colocar minha mão na dela (adoro isso, aliás), não dou a mínima pra como é ruim sentir a insegurança que sinto, já que uma hora a fila vai andar e vou perder minha vez, e definitivamente não estou nem ai para o fato de complicações me impedirem de ser para ela o q eu quero ser. Cada segundo que passei ao lado dela e cada vez que ela demonstra que sente a mesma coisa por mim fazem valer a pena!

O amor, por mais impossível que seja às vezes, ainda é o sentimento que mais me faz sentir vivo. Gosto disso. Espero que ela goste do que escrevi, já que é a primeira vez na vida que eu “publico no jornal” uma declaração pra alguém. Ta vendo como esse negocio de gostar de alguém complica a vida da gente?"

3 comments:

Anonymous said...

"...não dou a mínima pra como é ruim sentir a insegurança que sinto, já que uma hora a fila vai andar e vou perder minha vez, e definitivamente não estou nem ai para o fato de complicações me impedirem de ser para ela o q eu quero ser. Cada segundo que passei ao lado dela e cada vez que ela demonstra que sente a mesma coisa por mim fazem valer a pena!O amor, por mais impossível que seja às vezes, ainda é o sentimento que mais me faz sentir vivo. Gosto disso..."
Cara, que declaração! Praticamente define o que é amor. Precisa coragem pra expor a alma assim. Parabéns ao autor e à "musa" que o inspirou. Triste a impossibilidade, mas mesmo assim, lindo.

|________Uerlle| || || |___| said...

nuss...
num tem nem o que comentar né?
uahuah!
palavras sinceras e perfeitas!
bjoOo!

Anonymous said...

Tem gente amandoooo

Bjs

Bira