Tuesday, July 22, 2008

A felicidade está a nossa procura tanto quanto nós dela...

Ontem a caminho do trabalho, parei como sempre, no semáforo da Praça da Assembléia. Mas ontem foi um dia diferente. Diferente pq vi uma cena linda e escolhi deixar a beleza dela encher o meu coração naquele momento!

Um avô brincando com seu netinho (imagino eu) de poucos meses de idade. O neto estava sentado no carrinho e o avô então se abaixou ao lado de um daqueles pontos que jorram água nas plantas e molhou a mão ali para levar a água até o neto. O neto olhou para o avô maravilhado, como quem não acredita naquela água que escorre de seus dedos. Toda criança (ou quase todas) gosta de água e sabendo disso o avô molhava a mão na água e deixava ela escorrer de seus dedos até pingar na mão no netinho. E o neto tentava pegar aquelas gotas com sua mãozinha pequenina. O avô molhou a pontinha do nariz daquela criança que abriu um sorriso lindo. E ficaram ali nessa inocente brincadeira e nessa troca de toques entre o avô o pequeno garoto.

Sabe o que mais me chamou a atenção nessa cena? O fato de que eles eram alheios a tudo! Alheios ao caos do trânsito em volta deles, alheios as pessoas que transitavam pela praça, alheios aos barulhos de buzinas e outros sons tão comuns ao nosso cotidiano. O mundo parou, ali naquele instante, para eles. E o que mais importava era aquele momento. O sorriso no rosto do avô ao ver a alegria do neto com um gesto tão simples é indescritível.

Temos a chance de ser feliz a cada passo que damos, a cada esquina que viramos, pois a felicidade está sempre aí a nossa procura tanto quanto nós dela. Talvez você não faça idéia, mas contemplar essa cena de manhã cedo me garantiu um dos melhores dias que já tive. Naquele instante eu só queria que meus olhos fossem uma câmera pra registrar aquele momento. Queria descer da moto, me juntar aquele avô e ficar ali brincando com aquela criança... e esquecer por um instante de todas as obrigações do dia-a-dia. Queria que o semáforo demorasse a abrir para eu admirar por mais tempo aquela cena. Queria que o mundo se resumisse àquilo ali: simplicidade e amor!


Paz e alegria!

9 comments:

Nivs said...

Gabisita, que lindo! Olhos de poesia também de sua parte para enxergar isso. Se você fosse uma rabugenta-mor, olharia o vovô e talvez dissesse "E esse aí, não tem mais nada pra fazer da vida não?"

Sábias palavras da minha amiga que, pelo visto, anda muito apaixonada. Pela vida.

|________Uerlle| || || |___| said...

A paixão pela vida é algo incrivel né?
Permite que possamos ver em coisas simples e tirar de coisas simples lições muito lindas!
Beijo Gabi!!

Carol Sales said...

Adorei!!!Belíssimos texto e adorei o comentário da Nivis, como sempre, ótimo!
Fofolete, como que eu coloco no meu brog, atualizações dos meus prediletos?
Tb quero!
kkkkkk

Land of Marcelo said...

Que texto lindo, Gabi! Amei! Valeu demais por ter compartilhado essa cena. De vez em quando a gente leva um 'sacode' desses que nos lembram que a vida é mais do que essa correria louca, né. Muito bom!

|________Uerlle| || || |___| said...

Eii Gabii!
Tem selo pra vocês lá no meu blog!
Beijão!

D. Mattientti said...

Um dia desses, conversei com uma amiga minha pelo telefone. Tava muito preocupado com umas questões, ela até ajudou. Fazia tempo que não nos víamos.
Mais tarde, saí correndo na minha moto para resolver mais um dos muitos problemas dos últimos tempos...
Parei no sinal da Praça da Estação. Lá, no sinal, tava minha amiga: cabelo novo, como preconizado em tantas fotos e conversas. Um sorrisão que quase me cegou. Tive, mais ou menos, a mesma impressão que vc, Gabi... aquilo não era cara de felicidade de fim de dia... assim É essa amiga minha, tá dentro dela, não foi o dia ou a companhia... Liguei prá ela depois, ela tava indo ao Museu de Artes e Ofícios... ô vontade de ter aproveitado aquela alegria... não, aquela FELICIDADE toda com ela numa visita ao museu! Um dia, quem sabe... se vc quiser, pode ir com a gente, Gabes! Tá afim?

Gabi said...

Ei Nivs!! É isso mesmo. Ainda bem q não sou uma rabujenta, rs... e consigo enxergar essas belas imagens no meu cotidiano.

Ei Uerlle, tento praticar isso todos os dias pra viver mais feliz :)

Fofolete, os coments da Nivs são sempre sensacionais, né?? hihihihi passa depois no blog dela :D tá nos meus favoritos ;)

Pois é Marcelão, eu fico feliz que esses "sacodes" tem sido mais frequentes em minha vida, hehehehe me alegram :D

Di, vc e seus coments sempre surpreendetes, rs... Pena que eu não te vi aquele dia na pça da estação... senão teria te feito descer da moto e entrar cmgo no museu de artes e ofícios :D
com certeza eu topo ir c vc e c sua "amiga do sorrisão", rs... que por acaso conheço mto bem ;)

Deivid Sampaio said...

É... lendo esse post, o que me vem à mente é uma frase de Wordworth:
"...graças ao coração humano que nos faz viver, graças à sua ternura, alegria e temores, a mais sincera flor que o vento sopra faz-me pensar pensamentos profundos demais até para as lágrimas."

Gabi said...

Gente!!! q coisa boa sua visita ao blog, Deivid :) E perfeito seu comentário :)

volte sempre.

bjs